07
Jun.

Carta aberta sobre o Valor da Pecuária na Alimentação Mundial

Como a pecuária está apoiando a alimentação global, com elevados padrões de segurança alimentar e saúde pública durante a pandemia da Covid-19.

 (Esta carta foi assinada por mais de 65 organizações e personalidades a nível mundial)

A crise do coronavírus colocou em destaque o incrível desafio à saúde pública que o mundo enfrenta, e em nenhum setor esse desafio é maior do que na produção de alimentos. Alimentar o mundo durante esta crise é uma das principais prioridades das nações.

O mundo precisa do contributo da pecuária. Globalmente, 1,3 biliões de pessoas trabalham no setor pecuário, e muitos mais milhões de pessoas dependem da pecuária para alimentar as suas famílias. A pecuária fornece leite, carne, peixe e ovos num momento em que o acesso a alimentos seguros, nutritivos e acessíveis é necessário para combater uma potencial crise global de fome e dá um apoio inestimável aos agricultores que enfrentam dificuldades económicas graves, muitas vezes existenciais.

A origem precisa da Covid-19 continua a ser investigada, mas os estudos em curso confirmam que a produção pecuária é segura e não contribui para a propagação do vírus da Covid-19. As evidências atuais indicam que o contágio inicial ocorreu de animais selvagens para seres humanos, em linha com a investigação que demonstra que a maioria das doenças zoonóticas têm origem na vida selvagem.

No entanto, alguns estão fazendo alegações infundadas de que a pecuária e a agricultura modernas foram de alguma forma a fonte da pandemia. Isto ameaça distrair a resposta global de saúde pública num momento em que a pecuária pode contribuir com conhecimento e ser exemplo na gestão das zoonoses originadas pela vida selvagem, como forma de nos preparamos para uma outra eventual pandemia a longo prazo.

Por exemplo, as doenças dos animais são globalmente monitorizadas visando impedir a sua difusão entre países, tal como aconteceu com a Covid-19, e a evolução nas boas práticas das explorações pecuárias, nutrição animal, diagnóstico veterinário e medicina têm permitido que muitas doenças zoonóticas, como a Salmonella, sejam bem geridas na maioria dos países. Usar este conhecimento para desenvolver sistemas de alerta precoce mais robustos para a vida selvagem pode melhorar a nossa capacidade de detetar doenças emergentes.

É importante sublinhar que a produção pecuária é um sistema regulado e monitorizado, tendo como objetivo a segurança alimentar e a saúde pública. Perante este desafio sem precedentes, as explorações agropecuárias estão a tomar todas as precauções possíveis para manter os trabalhadores o mais seguros possível, cumprindo a sua missão vital no fornecimento de alimentos. Os produtores pecuários continuam a implementar as habituais normas de biossegurança, higiene, vacinação, entre outras ferramentas, para controlar as doenças animais.

O conhecimento e a experiência do setor pecuário podem ajudar a fortalecer a resposta global à Covid-19 e ajudar a enfrentar o crescente risco de insegurança alimentar.

Instamos as autoridades, grupos intergovernamentais e ONGs a apoiarem esses esforços:

  • Reafirmando a segurança da produção animal e lembrando aos consumidores o nosso robusto sistema de segurança alimentar, incluindo o importante papel dos veterinários e da nutrição animal.
  • Refutando desinformação que tenta criar um elo entre a pecuária e a propagação da Covid-19.
  • Ouvindo especialistas em pecuária, incluindo agricultores e outras partes interessadas da cadeia de valor alimentar, para perceberam como podem ajudar no seu esforço para alimentar as comunidades.

Durante essa pandemia, as explorações pecuárias e a cadeia de valor estão a trabalhar incansavelmente para garantir que tenhamos alimentos seguros e acessíveis para comer e beber. É vital que a sociedade apoie esses esforços e use o seu conhecimento para construir um mundo mais resiliente no futuro.

Consulte AQUI a carta original (redigida em inglês) e os signatários da mesma.

Share this post