14
Mar.

Presidente da APORMOR defende reforço do associativismo na pecuária extensiva

 

«Temos que tornar as nossas organizações da produção cada vez mais fortes. Não podemos deixar que os urbanos decidam por nós, sem nos ouvir. Há que assumir a defesa do mundo rural, da sua identidade, economia, valores e tradições, porque não há Estado que nos valha», afirmou Joaquim Capoulas hoje nas VII Jornadas Técnicas Vetagromor, em Montemor-o-Novo.

O presidente da APORMOR considera que o setor da pecuária extensiva deve tomar em mãos a defesa e valorização do sistema agrossilvopastoril do montado, que representa 70% a 80% do território do Alentejo, e cuja produção (bovinos, ovinos) tem tido nos últimos anos um crescente contributo para as exportações nacionais.

Joaquim Capoulas apela a que o setor produtivo se una e reivindique junto do Governo a criação de uma medida agroambiental ligada ao montado no âmbito da PAC pós-2020.

A APORMOR apoia a produção e tem um papel fulcral na comercialização de bovinos e ovinos, através dos seus leilões, que funcionam como um barómetro de preços para todo o país, mas está disposta a ir mais além: «temos de reunir as capacidades necessárias para que o mundo rural não se sinta abandonado, mas que tenha um rumo e um futuro», disse Joaquim Capoulas que falava no âmbito do workshop “Melhoramento Económico em Ovinicultura”.

(Ver a reportagem completa na “Apormor News Nº2”, a publicar em Abril)

Image

Share this post